Lá vem a Ventania – Renata Rothstein

E lá vem a ventania
Venta como ela quer
De onde veio? não sei
Sussurrou que lá de longe…
Será que do pólo norte?
Sei lá eu onde isso fica!
Veio assim, não sei de onde
Carregando gente bem forte
Danada a tal de ventania
Carrega o que ela quiser
Carrega caminhão carrega barco
Carrega até vaca e o mais que vier
Ventinho vindo tão ágil e ligeiro
Para ver quem voa primeiro
Ele às vezes carrega mulher
Mulher braba e encrenqueira
Que o sujeito já ‘num’ quer
Danado de um vento bravo
Que já vem fazendo favor
Está já a dona Serafina livre
De todo e qualquer perigo
Saiu voando pelo vento
O chato do Bastos, seu marido
Vento sem tempo e sem idade
Leva embora o chapéu do doutor
E dá cabo até na vaidade
E essa agora, distinto amigo
O danado já derrubou
Segura a saia, dona Maria!
Que o vento já arribou
Sua saia levantada
Acredite no que lhe digo
e digo porque sou amigo
Só não viu foi quem não olhou
Mas concorde comigo, lhe digo
O mesmo vento que destrói
É o mesmo que traz as “flor”!
O mundo girando ao relento
Eu só por só querer ser só
Girando e girando com o vento
Mundo lento mundo lento…
Ligeiro vento ligeiro mesmo
É o vento ventando verdade
Durando apenas um momento
Venha sempre de onde vier
Soprando por onde quiser
Só não diga que vai embora
Sem que eu diga o que é que é!
Lentos somos nós no mundo
Porém linda a vida é
E nisso é que acredito
E por isso eu sigo cantando
O vento vai assobiando e
Só não canta quem não quer
Eu canto acompanho o vento
Não desisto insisto e tento
Tenho a minha galhardia
Portanto já estou na estrada
Assim que mal clareia o dia
Me leva p’ra onde ele vai
Me leva pra onde ele quer
Eu sigo com a ventania
A minha vida é a montaria
E eu sigo é com a minha fé!
Renata Rothstein

8 comentários em “Lá vem a Ventania – Renata Rothstein

Adicione o seu

  1. Ohh que delicia de leitura!
    Muito bem bolado e com um ritmo cadenciado, bom demais de ler!
    Tem uns pensamentos bonitos, umas palavras bonitas, versos bem feitos, ótima poesia!
    Parabéns!

    Será que não seria legal separar por estrofes, pra ficar mais nítidas as separações de assunto ae a que o vento abordava? pense nisso.
    e neste verso, nao teve um erro de digitação?
    'Eu canto acompanho o vento'
    bju

    Curtido por 1 pessoa

  2. Seu texto é cheio de ritmo. Talvez por ser uma bailarina, a musicalidade e o movimento sejam inerentes à sua poesia. O desenho complementa bem o todo, ele também cheio de uma dinâmica sugerida, e percebida pelo leitor. Parabéns, amiga.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Olá. Uma bela poesia! Ah, o vento… tão traiçoeiro quanto o tempo, leva tudo, tira tudo, mas também trás, muitas vezes, coisas ruins, poeira e sujeira, deixando uma bela bagunça. Ventania que passe longe de mim, me deixe bem quietinha rsrsrsrs.
    (Só um pitaco: se não me falhe a memória, de acordo com a nova ortografia, Pólo já não possui acento) ❤

    Curtido por 1 pessoa

  4. Querida Renata,

    Tudo bem?

    Gosto do vento. Gosto do tema, bem como do fenômeno em si.

    Moro na beira da praia (ao menos por enquanto) e por aqui venta muito. Por aqui, ventanias são sinal de mudança. Quando ela vem, logo teremos tempestade ou, a chuva dará lugar, quase que subitamente, a um belíssimo dia de sol, uma noite estrelada. Não só por isso, mas acho perfeita a metáfora do vento para mudanças em nossas vidas. Ventos são pontos de virada.

    Seu poema me lembrou Cecília Meirelles. Aqueles contos que li na infância, bem no início, em minha formação primeira como leitora, mas que jamais se deixaram esquecer.

    Sua poesia é bela, leve, fluída e muito agradável de se “ouvir”. Ela tem musicalidade. E, como creio que literatura seja música, me agradou em cheio.

    Parabéns.

    Beijos
    Paula Giannini

    Curtido por 1 pessoa

  5. Poema cativante em ideias e linguagem. O vento é simbólico, ele tudo leva ou traz, pode ser bondoso ou mau, não é mesmo? Parabéns pela harmonia, pelo ritmo e pela mensagem do texto. Beijos.

    Curtir

  6. Tenho medo e ao mesmo tempo um enorme fascínio pelas forças dos elementos. Sinto um respeito enorme pelo senhor dos ventos, sei que ele pode me destruir, apenas com um estalar de dedos.
    Meus parabéns pelo poema.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: