O confronto entre a menina e o bicho (Fheluany Nogueira)

 

 

Só diante do bicho a menina fica livre da timidez. É. Algumas pequenas fugas e o bicho para. É uma lagartixa. Não, muito grande para lagartixa. Ou um lagarto? Pequeno também para lagarto.

A menina e a lagartixa esperando o ataque. Um desafio ou uma contemplação? Para a lagartixa a menina é uma ameaça, máquina-que-atira-pedras. Que é uma lagartixa para a menina? Muito mais que uma lagartixa….

Ela descobre que o importante da lagartixa é que ela é um bicho. E relembra seus confrontos:

a menina e o caranguejo: um pouco mais de sobressalto;

a menina e a cobra: uma pesada força bíblica (A menina se lembra do rio, a fieira de peixes, e a cobra. Por duas vezes, em tempos diferentes, em espaços diferentes, a cobra viera comer-lhe os peixes. Não era crueldade nenhuma pescá-los. Mas comê-los!  A cobra era algo repelente.);

a menina e os tico-ticos: chegam pertinho, mas é de dia;

a menina e o louva-a-deus: um esmagamento.

Houve a menina e os bichos do zoológico, mas a estranha sensação de confronto só valia com os bichos em plena liberdade, quando dependiam de uma pedra ou um pedaço de pau nas mãos dela, como foi com o louva-a-deus e o caranguejo…

A menina e o gato: uma aventura mais longa.

O gato veio na ponta do gesto e lhe disse, que pensava, amava, observava os homens. E a menina lhe perguntou sobre a estranha maneira de os gatos se amarem.

O gato lhe disse que só o amor valia e era preciso gastar esse amor com todas as forças. E que por isso dormia tanto de dia e precisava comer, e miar em todos os tons. Se odiava os homens? Não, assim-assim. Tinha era compaixão deles, sobrecarregados, irascíveis, sempre ocupados.

Foram dar um passeio. Na barraquinha do calçadão, o gato pediu-lhe uma porção de presunto. Mandou vir. Ele precipitou-se sobre a carne e a menina descobriu pelos gritos de protesto que tinha companheiros à mesa e aquilo era um absurdo: onde se viu gato comer com gente.

A menina olhou para o gato que também ria, beijou-lhe o focinho. Perguntou ao gato: por que veio ter comigo? (A pergunta pareceu-lhe pegajosa, demorou um século para sair da garganta.)

O gato, a essa altura dormia, mas acordou para responder-lhe: olha, você está imensamente desamparada e gente não resolve seu caso. Você ainda teve forças para fazer aquele gesto, então eu vim. Você se distraiu comigo. De agora em diante serei seu amor. Eu serei a sua sombra. E você me terá.

No outro dia, a menina acordou tarde, sentindo calor. Uma calma quente. Os olhos uns traços verdes, petulantes. Levantou-se. Olhou a própria sombra: era a sombra do gato.

9 comentários em “O confronto entre a menina e o bicho (Fheluany Nogueira)

Adicione o seu

  1. Uma espécie de Alice atual e eterna e seus confrontos interessantes com os bichos até achar aquele que lhe completava. Acredito que o conto não é apenas o que se vê literalmente, mas que existam significados profundos, arquétipos representados pelos bichos com quem a garota se confronta. Gostei bastante. Esse ar lúdico e inteligente sempre me encanta. Gostei muito, princesa Fátima. No fim, quando a menina olha para a sombra e vê a sombra do gato, surge uma luz na cabeça da gente indicando que há muito mais ali. Beijos e muita saúde.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Que texto mais instigante e enigmático, Fátima. Uma espécie de Alice, essa menina. Adorei a “pergunta pegajosa que demorou um século para sair da garganta”. Trouxe a sensação de pesadelo que localiza a história em um limiar entre sonho e realidade. Adorei a sombra do gato no final. Muito bom, querida. Um abraço, um beijo e muita saúde para você.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Querida Fátima,

    Tudo bem?

    Que ótimo conto! A relação menina x animais, mais que aos sonhos, nos arrasta ao lugar onde eles nasces, em nossos subconsciente, na psicanálise, em lugares recônditos que nem mesmo n´s conhecemos.

    Quem é a menina que se confronta com os animais? Quem os animais que desfilam frente a ela, como imagens de partes de si mesma. Um texto para ser lido, deixando-se aflorar o sensorial.

    Parabéns,

    Beijos
    Paula Giannini

    Curtido por 1 pessoa

    1. Um enorme incentivo o seu comentário, Paula. A menina não tem nome, representa todas elas e o conjunto de animais é a própria vida com seus encontros e desencontros, obstáculos e identificações. Grata pela leitura! Beijos.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: