Tempo e espaço – Fernanda Caleffi Barbetta

Há espaços por entre as fendas do tempo,
onde derramo, em cada vão, os meus instantes.
Horas errantes a preencher todo Espaço,
no vai-e-vem que torna o hoje como dantes.

Será vão o tempo à espera de seus versos.
Há de ser urgente o voo aguardado, jamais previsto.
Que as asas sustentem o peso doce das palavras
Serão menos leves os poemas nunca ditos.

Este poema é continuidade do texto Versos Trocados. É o primeiro poema escrito a dois. A primeira estrofe, escrita por Julio Cintra. A segunda, pela protagonista Ana.

Não leu o conto? Acesse aqui:

Versos Trocados

27 comentários em “Tempo e espaço – Fernanda Caleffi Barbetta

Adicione o seu

  1. Ah… Que primor!
    “Que as asas sustentem o peso doce das palavras
    Serão menos leves os poemas nunca ditos.”
    Talvez porque o não dizer, essa coisa carregada de silêncio, traduza melhor o sentimento. Palavras são seres errantes, estradas sem volta, entendimentos imprecisos do que está por dentro.

    Curtido por 1 pessoa

  2. As estrofes mantém relações temáticas e formais estreitas com o conto que as precederam. Nenhum texto sobrevive fora do seu contexto de realização. Conto e versos se amarram perfeitamente.

    Parabéns pelo lirismo como uma maneira especial de recorte do mundo, o amor visto em si, atemporal; e pelo arranjo da linguagem sonoro e sugestivo.

    Um grande abraço.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Lindo lindo lindo!
    naõ tenho o que dizer!
    completamente dentro do conto, a atmosfera deste poema é tanta que podemos sentir a cena surreal, como real.. hehe
    lindo mesmo!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Fernanda,
    Mas é de uma lindeza tão imensa, de uma beleza atemporal, dessas que transportam a gente pra dentro da gente mesma, me emocionei com seus versos, parte do conto…
    “Que as asas sustentem o peso doce das palavras
    Serão menos leves os poemas nunca ditos.”
    Muito bom ❤

    Curtido por 1 pessoa

  5. A fluidez dos versos, com rimas que não travam e cabem nas palavras sem invadir seu significado. Linda construção poética que faz os olhos piscarem como aplausos. Uma viagem instantânea que traz muita leveza! Parabéns.

    Curtido por 1 pessoa

  6. O tempo é algo fascinante e desesperador, exatamente porque não conseguimos controlá-lo. Ele nos escapa pelos dedos, como areias de uma ampulheta magnífica. Fotografias, filmes, lembranças, músicas são os vãos em que tentamos deter o tempo. Assim como os filhos e netos, são nossa tentativa de deter o relógio e a morte certa. Lindo. Parabéns.

    Curtido por 1 pessoa

  7. Maravilhoso poema! Li o conto e imaginava que os versos seriam arrebatadores mesmo, e você conseguiu escrevê-los com perfeição! 💖

    Curtido por 1 pessoa

  8. Esse poema ficou uma graça. Você conseguiu emular uma voz poética mais antiguinha, tão diferente da sua voz poética em geral, muito consistente com a proposta do poema. Achei incrível. Parabéns! Um beijo.

    Curtido por 1 pessoa

  9. Querida Fernanda,

    Ah, a intertextualidade. Falar de literatura, de poesia, seguindo o próprio conto, linguagem híbrida e intertextualidade com seu próprio texto, sensacional.

    Além disso, você nos brindou com uma belíssima poesia, de rara sensibilidade.

    Você, Fernanda, é uma escritora (uma artista) de um talento incrível.

    Beijos
    Paula Giannini

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: