Vingança e paixão (Capítulo 2) – Priscila Pereira

As semanas que se seguiram foram estranhas.

Toda vez que se cruzavam, Thiago parava para cumprimentá-la, mas Júlia sequer olhava para seus olhos. Fazia uma breve e educada menção com a cabeça, desviava-se o mais rápido possível, corporal e emocionalmente, e sumia. O que era ótimo para ele, tivera medo de ter arrumado uma esposa carente e encrenqueira que exigiria atenção e amor.  Tudo que queria dar para Cecília, se ela tivesse deixado. Ainda não entendia como ela pudera se casar com outra pessoa além dele. E tudo o que recebeu como resposta às suas perguntas foi um bilhete que dizia que tudo o que tiveram não passara de amizade, que ela o considerava um irmão. Um irmão! 

Não era possível que ele tivesse se enganado tanto, se iludido a tal ponto. Não, isso era inaceitável! Então, na primeira oportunidade, conseguira um casamento arranjado. Trouxera uma moça desconhecida para sua casa e lhe negara qualquer afeto ou intimidade. Pensando com calma agora, percebia como havia sido injusto. Júlia era muito bonita, notara também que era educada, sensata, e parecia muito alegre, ouvia seu riso sempre pela casa, mas nunca quando ele estava presente. Assumia um ar altivo e condescendente. No início ficou intrigado, mas depois de persuadir a irmã, que adorava a cunhada, a soltar a língua, descobriu que Camila havia contado tudo sobre Cecília. Então era isso! 

Sua esposa sabia sobre seu amor não correspondido e sobre o seu ato desesperado de se casar antes dela. Estava profundamente envergonhado. Aborrecido por Camila tê-lo traído e com o orgulho ferido pela indiferença e altivez de Júlia. Todas as mulheres de sua vida o decepcionaram, não, na verdade, ele decepcionara a si mesmo. Era tudo culpa sua. 

Não podia fazer nada com relação à Cecília, era Condessa agora, que fosse feliz. Amava demais sua irmã para tomar atitudes drásticas, então restava perdoá-la, agora, só teria que conseguir conviver em harmonia e em paz com sua esposa. Não seria fácil, já que ela se fechara completamente para ele. 

 Passou a observá-la. Não era atoa que a irmã a adorava. Júlia era uma dama refinada, alegre e charmosa, poderia ter se apaixonado por ela, se não fosse tão obstinado e tolo.

Decidiu conversar com a esposa e tentar uma aproximação. Mas antes, embalou cada quadro que pintara de sua amada e mandara entregar em sua casa. Ela que se explicasse com o Conde. 

Júlia usava Camila como escudo contra ele. Estavam sempre juntas. Rindo e tramando alguma travessura. Se quisesse conversar sério com ela, precisaria voltar ao seu quarto. 

***

Júlia não podia negar que sua vida era muito agradável na nova casa. Era a senhora da mansão, tudo era feito de acordo com o seu gosto e todos tentavam agradá-la, Camila era uma ótima companheira e divertiam-se muito juntas. Só Thiago que continuava frio e distante. 

A fúria que experimentara no início foi se abrandando e conseguia ver um homem infeliz e com o coração partido. Não sabia que os homens também sofriam desse mal e ver seu suposto marido nessa situação era triste. Sabia que ele era um homem bom, não merecia ter se tornado tão amargo. Imaginava como ele seria sem essa aura de tristeza, como seria seu sorriso, seus olhos verdes sem a névoa de decepção.

Em uma manhã ensolarada, notou um movimento anormal na mansão. Homens entravam e saíam com embrulhos que pareciam ser quadros. Thiago havia limpado seu ateliê de pintura. Nenhum quadro havia restado.

 Interessante!

Notou que ele passou a ficar mais em casa, procurava pretextos para falar com Camila sempre que estavam juntas, e passou a procurá-la com o olhar. Sentia que algo mudaria em breve.

Algumas noites depois, Júlia já havia se preparado para dormir e estava penteando os cabelos quando ouviu uma batida leve na porta. Pensou ser uma das criadas verificando se precisava de mais alguma coisa.

— Entre.

A porta se abriu lentamente. Thiago entrou e fechou a porta atrás de si. Um sobressalto passou por Júlia. Queria se cobrir. Por que todas as suas camisolas tinham que ser tão reveladoras? 

— Podemos conversar? 

8 comentários em “Vingança e paixão (Capítulo 2) – Priscila Pereira

Adicione o seu

  1. Olá, Priscila!
    Que delicioso romance se antevê entre os dois. E a cena ao final me deixou com um gostinho de “quero-mais”. Ansiosa pelo próximo capítulo!

    Curtido por 2 pessoas

  2. Priscila, estou acompanhando essa saga como se fosse uma novela daquelas que a gente não perde um só capítulo. Estou gostando do rumo que as coisas tomam, já estava torcendo para que rolasse um interesse entre o novo casal, já que a antiga noiva está em outra e feliz. Li ontem mas foi tarde e estava caindo de sono. Beijos, minha querida amiga.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Eita! E não é que eu, que geralmente não gosto de histórias românticas, já me deixei fisgar completamente?! 🙂
    Ansiosa aqui pelos próximos capítulos!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Narrativa vibrante e provocativa, é também uma reflexão sobre como a necessidade de fazer a coisa certa pode colocar, às vezes irreversivelmente, no caminho errado. Um romance extraordinário sobre transições, paixões e descobertas. Veremos em que vai dar. Ansiosa pelos próximos capítulos.

    Beijos.

    Curtido por 1 pessoa

  5. Seria uma narrativa sabrinesca? Estou ansiosa para o desenrolar da trama, pois sinto que há um romance a nascer entre os dois personagens. Mas como se dará? Sua linguagem simples e clara conduz a nossa leitura com muita fluidez. Uma delícia de ler, um refresco depois dessa loucura toda que vivemos. Beijos.

    Curtido por 1 pessoa

  6. Eu não sei o que dizer… Não sei se torço para um romance rolar, ou se continuo a esperar que ele seja desprezado por sua atitude egoísta… veremos.
    Bjs ❤

    Curtido por 1 pessoa

  7. Priscila, querida,

    Incrível como você está prendendo esta leitora aqui… O romance tem isso, a gente se paga torcendo, imaginando o que pode dar errado, ou certo para o casal. Para se escrever um bom romance é preciso dominar a técnica (ou seria o dom?) de criar empatia no leitor. E você consegue com maestria!

    Feliz 2021.

    Beijos
    Paula Giannini

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: