Vestígio – Elisa Ribeiro

VESTÍGIO

Penetra a trama do meu vestido
desfaz o liso dos meus cabelos
qualquer brecha é caminho
arrepia-me os pelos.

Sibila nos meus ouvidos
delícias que eu não entendo
cerra meus olhos, prefiro
alongue-se e seja lento.

Dança comigo, aproveita
meu corpo servil ao seu ritmo
por um tempo

até que a chama se extinga
sem deixar qualquer vestígio
ao sopro do próximo vento.

(*) esse poema integra o volume toda-mulher-vaga-lume, obra conjunta do Coletivo Contistas. Apoie o projeto em https://benfeitoria.com/contistas

6 comentários em “Vestígio – Elisa Ribeiro

Adicione o seu

  1. Olá, Elisa!

    Esse soneto é primoroso. Um tema que nos convida ao embalo da vida, a própria essência do gozo, com ritmo, com rimas ricas, com assonâncias que em tudo fazem desses versos um convite à leitura e ao prazer. Parabéns!

    Curtir

  2. Um poema que é também uma valsa. Perfeito o seu ritmo incutido nas palavras. Linguagem que fica ecoanddo na mente como um prazer que nunca se despede. Parabéns.

    Curtir

  3. Lindíssimo poema! Tem tudo o que eu gosto: o ar sensual, a sonoridade, as imagens…
    Um belíssimo trabalho com as palavras, que acaba mexendo com nossos sentimentos!
    Parabéns!
    Beijo!

    Curtir

  4. Amo este poema. Amo escrito… Amo narrado tão lindamente por você.
    Parabéns, sempre, poeta incrível.
    Beijos
    Paula Giannini

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: