Rastros de Saudades – Escritora Convidada – Albaniza Ivanovichi


Rastros de Saudades

Dirás que foi um sonho o que sentiste 
O que senti nada mais doce que um sonho 
Restou do sonho uma saudade leve 
Tão leve que já nem punge. 
Um dia braços trêmulos e um abraço mais trêmulo 
Lábios vazios e um beijo aconteciam 
Teve o beijo a vida de um minuto 
O minuto fez-se eternidade E o amor? 
Apenas uma máscara e uma saudade 
Foi o destino: Dirás. 
Que me pôs em teu caminho 
Existe, é verdade, uma saudade leve. 
E um rolar de lágrimas caindo em fins de tarde. 
Um dia Esse amor que nem era amor 
Esvoaçou de tão leve ao sopro da aragem fria 
Deixando apenas rastros leves de saudade.



Albaniza Ivanovichi, graduada em Administração de Empresas com MBA em Gestão do Terceiro Setor. Autora do livro: No Meio do Tempo, gênero de poesias, participação no e-zine Memória, Água, Terra, Fogo e Ar. Faz parte do grupo Andarilhos da Cultura na cidade de Fortaleza-CE e do grupo Coletivo de Escritores potiguares independentes na cidade do Natal-RN


14 comentários em “Rastros de Saudades – Escritora Convidada – Albaniza Ivanovichi

Adicione o seu

      1. Obrigada Lilian Lovisi,
        Esse poema foi desenvolvido a muitos anos e perdido o original mas permaneceu na minha memória.
        Bjoss

        Curtir

    1. Eu que agradeço em poder contribuir.
      É gratificante ver um dos meus primeiros poemas publicado no blog.
      Grata.

      Curtir

  1. Um belo poema que fala dos amores breves que por não se realizarem plenamente permanecem vivos na lembrança.

    Obrigada por responder nossa chamada enviando-nos esse texto em que linguagem e conteúdo se integram de forma tão harmónica.

    Seja muito bem vinda ao nosso blog, Albaniza. Beijos carinhosos.

    Curtir

  2. Parabéns pela composição poética que traduz com muita destreza os relacionamentos líquidos que se multiplicaram nestes tempos estranhos que vivemos. Felicidades.

    Curtir

    1. Iolandinha, fico feliz com seu comentário que traduz, realmente, a idéia do poema quando fala do rompante das paixões e dos amores líquidos que enchem o coração de saudade.
      Obrigada.

      Curtido por 1 pessoa

  3. Não sou poeta, minha praia é mesmo o conto. Mas gostei muito do seu poema, me remeteu a imagens frescas e belas.

    Curtir

    1. Muito agradecida, Juliana.
      Fico feliz demais com suas palavras.
      Tenho um conto prontinho na minha mente, espero colocá-lo logo no papel.
      Adoro a linguagem da poesia mas vou escrever esse conto que faz parte da história de vida de minha mãe. Bjoss

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: