Drink de Flores ou 8+1 – Paula Giannini

Ingredientes 5 cl de Gin - 3 cl de xarope de rosas - 1,5 cl de Triple Sec. - 2 cl de suco de limão - Gelo Ela dormia tarde. Gostava de ter uns minutos para si. Mesmo exausta, mesmo após o dia longo e cheio de trabalho. Abria a janela e subia pelas escadas... Continuar Lendo →

Para Inspirar – Os anões (Verônica Stigger)

Ele tinha a altura de um pigmeu, e ela batia na cintura dele. Os dois eram tão pequenos que mal alcançavam o alto da bancada dos doces. Ela dava saltinhos para tentar ver o que a confeitaria tinha de bom. Ele, mais circunspecto, espichava o pescoço, apontava o nariz para cima e aspirava fundo —... Continuar Lendo →

Ovos Nevados – Paula Giannini

Ingredientes 1 litro de leite integral 6 claras 6 gemas 12 colheres (sopa) de açúcar (cheias) 3 gotas de essência de baunilha Raspas de casca de limão Uma pitada de Flor de Sal   Modo de preparo Claras Bateu as claras com força. Toda a força que aqueles braços finicos, como o marido costumava brincar... Continuar Lendo →

(A)Outra – Paula Giannini

Bateu a porta. Finalmente em casa, arrancava tudo: roupas, sapatos, meia-calça, cinta, calcinha, sutiã, aquele aplique patético para deixar os cabelos compridos. Os cílios. Os malditos e borrados cílios postiços, ensopados de suor, grudando nos dedos a gosma negra da cola. Maldito verão. Melhor ligar logo a porcaria do ventilador. Não dava. Onde enfiara, pela... Continuar Lendo →

Óviro – Paula Giannini

Quando estava só era tudo cinza, retrato sem graça, desses que a gente vê quando abre uma revistinha daquelas fininhas, que vêm dentro de saquinho, acompanhadas de uma pequena caixa de lápis de cor. Tudo cinza. Tudo sem cor. A menina abria a janela, e lá estava o sol, desenhado em um riscado com seu... Continuar Lendo →

Musa – Paula Giannini

Existe uma teoria que suspeita o universo como uma bolha. Não o meu, não apenas, mas todos. Sim, outros, pois que para esta suposição, há tantos mundos no cosmos quanto bolhas em uma garrafa de espumante. Para ela, a tal teoria, meu universo, nada mais é que uma destas incomensuráveis e frágeis bolinhas, vagando errática,... Continuar Lendo →

Com a ponta dos dedos – Paula Giannini

Dessa forma aprendeu a descobrir o mundo desde pequena. Gostava de passar a mão na superfície lisa da mesa e subir os dedinhos pela borda do prato até circundá-lo por inteiro. Só então metia o indicador para sentir a temperatura da sopa e procurar dentro do caldo as letrinhas de macarrão acrescentadas à janta pela... Continuar Lendo →

Super mulher – Paula Giannini

Minha mãe sempre me disse... A vida inteira... Não case. Não se case! Ou, pelo menos, não se case cedo. Casamento é coisa de gente insana. Uma tediosa refeição, com a sobremesa no começo. Um submarino que pode até boiar, mas foi feito para afundar... E o que foi que a insana aqui fez? Casou.... Continuar Lendo →

Casal perfeito – Paula Giannini

Eram feitos um para o outro, dizia quem os via assim, aos beijos em pleno meio-dia de uma data qualquer, em frente ao prédio onde moravam. Romeu e Julieta, queijo com goiabada, arroz e feijão, brincavam os amigos. Eram feitos sob medida. O céu e o mar, a Bela e a Fera, a faca e... Continuar Lendo →

Em até três palavras – Paula Giannini

Começou em 2017. A cabeça pequena. O coração grande. Inchado, diziam. Nasci assim. Os vizinhos também. Todos eles. Os do Alagados. Os do Baixio. Fomos os primeiros. Microencefalia dava medo. Era tabu. Era boca fechada. As mães choravam. Os pais sumiam. As crianças nasciam. E só. O governo? Tentavam. Diziam que sim. Fumacê. Tratamento genético.... Continuar Lendo →

Rabanada de Panetone – Paula Giannini

Querida menina, Então, depois de tantos anos, hoje você veio. O mesmo perfume adocicado. O mesmo olhar meio de lado e aquela mania de sempre, de buscar o teto repetidas vezes, como se ali se encontrassem as respostas para o que quer que fosse. O que quer que, porventura, em sua vida, estivesse fora do... Continuar Lendo →

Ponche de Maçã – Paula Giannini

Ingredientes Comprar 1 litro de Sidra espumante para o ponche, que a Maria adora. 2 litros de guaraná. 1 cacho de uvas. E maçãs 5.  3, grandes para cortar em cubos de gelo a gosto   Comprar uma agenda nova que a velha desapareceu. E flores para Maria. Amarelas, suas preferidas. Comprar fita vermelha para... Continuar Lendo →

Pão do Céu – Paula Giannini

Ingredientes   1 Xícara (chá) de leite 1 Lata de leite condensado 200 Gramas de açúcar Pão para rabanada, fatiado 3 Ovos 2 Colheres (sopa) de canela em pó Óleo para fritar — Quando crescer... — Eu explicava. — Quero ser chefe de cozinha. — Como vira no restaurante em que jantamos naquele Natal. Meu... Continuar Lendo →

Mousse de Maracujá – Paula Giannini

Que acreditava em Deus. É o que responderia se acaso um dia alguém lhe perguntasse. Que sim. É o que diria se tivesse o senso para responder questões. Sim, acreditava. Ora, e como não? Como, afinal, se chamaria aquilo em que habitava? Deus. Aquilo constituía toda a sua curta vida. Comer no momento em que... Continuar Lendo →

Etapa Verbo Morrer – Diretrizes

1. O tema é o verbo MORRER, que deverá ser trabalhado como se achar melhor, não sendo nem mesmo necessário que apareça a palavra no conto, caso a autora não veja necessidade. 2. As autoras participantes deverão postar um conto neste blog, inédito ou não, até a data limite de 12 de novembro de 2017... Continuar Lendo →

O Espeleólogo – Paula Giannini

(de Paula Giannini) Quando crescesse, queria ser espeleólogo, como o avô, um rapaz de apenas 38 anos. Jovem demais para ser avô. Velho demais para ser considerado um jovem. Sempre suado, visivelmente exausto, mas disposto a contar o seu dia ao neto, com um estudado sorriso e pormenores dignos da mais emocionante aventura. Assim havia... Continuar Lendo →

Etapa Verbo Crescer – Diretrizes

1. O tema é o verbo CRESCER, que deverá ser trabalhado como se achar melhor, não sendo nem mesmo necessário que apareça a palavra no conto, caso a autora não veja necessidade. 2. As autoras participantes deverão postar um conto neste blog, inédito ou não, até a data limite de 12 de setembro de 2017... Continuar Lendo →

Ossos Largos – Paula Giannini

(de Paula Giannini) —  Essa menina nasceu com os ossos largos. A mãe alardeava às amigas, para o desespero de Amanda. O parto, normal, durara 12 horas de inominável agonia. Dona Tilda era uma heroína, com direito a aplausos e piadinhas sobre a menina que nascera com 6 quilos e 900 gramas. — Quase um recorde. —... Continuar Lendo →

Pãozinho perfumado – Paula Giannini

(de Paula Giannini) A primeira coisa que sentiu foi dor. Duas bolas de ping-pong brotavam, em brasa, bem ali, dentro de seus mamilos. Não dava! Não para dormir de bruços, sua posição preferida. Com a cabeça de lado e os braços estendidos sob o peso do corpo, das pernas. A mão espalmada sob as coxas.... Continuar Lendo →

Pirulito de açúcar – Paula Giannini

(de Paula Giannini) Da primeira vez que aconteceu, ainda não sabia, mas já estava grávida. O marido embarcava em um ônibus caindo aos pedaços e logo mandaria buscá-la. Entre as promessas e os sonhos de uma vida melhor para os filhos que um dia sonhavam em ter, a esperança de comida à mesa todos os... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑