Audaces fortuna juvat (Renata Rothstein) – Desafio Contos

(Renata Rothstein, Desafio) Antes que o despertador tocasse já estava acordado, olhando o teto. Iniciava aquele dia com ânimo novo. Entusiasmado, até: um misto de ansiedade, euforia... um pouco de medo, talvez. Havia tempo que cansara das privações, da vida difícil, de trabalhar anos a fio sem reconhecimento ou chance de crescimento, sem retorno. Aí,... Continuar Lendo →

Trinta minutos – Elisa Ribeiro (desafio)

Levantou-se assim que a mãe sentou de volta com mais meia dúzia de pães de queijo, uma montanha de ovos mexidos e a terceira chávena de café com leite.  Iria esperá-los lá fora, no alpendre, estava satisfeita. O pai fez que sim com a cabeça, a boca cheia de presunto com bacon. Odiava aquela parte... Continuar Lendo →

Epifania – Fheluany Nogueira – (desafio)

Um estranho (apenas de cuecas), no seu sofá da sala, bebendo sua cerveja, assistindo futebol pela sua tevê?!! Com esforço e olhos esbugalhados, ele conseguiu perguntar: — Cadê minha mulher? — Está na cozinha preparando um tira gosto — (Mostrava uma naturalidade desconcertante). Foi conferir: a mulher de roupão, cortava queijo em cubos e dispunha-os... Continuar Lendo →

À ESPERA DELE – desafio – Claudia Angst

Esperava por ele, ansiosa, quase febril. Desejava apenas se acomodar entre os dias. Vigiava as horas fazendo atrito entre os ponteiros. Voltas e voltas de interrogações. Mas sabia que ele viria conforme o prometido.Ela sempre sorria assim que ele se anunciava, logo ao amanhecer ou nos momentos mais tardios. Ele vinha, chegava e se instalava.... Continuar Lendo →

O quadro – Elisa Ribeiro (desafio)

Instalou-se bem cedo em um banco no meio da praça: cavalete, pincéis, tela e tintas. Luz e ângulo perfeitos, pôs-se a pintar: o céu, os passantes, os automóveis, os edifícios. Logo, alguns suspenderam a pressa da segunda-feira lenta para assistir-lhe o manejo dos pincéis, a forma como misturava as cores sobre a tela transformando em... Continuar Lendo →

Luana chorou – (desafio) – Anorkinda

Luana estava exausta. - O que foi, baby? Luana ficou em silêncio. - Conte o que aconteceu. Luana deixou uma lágrima escorrer. - Você não vai querer que eu imagine, né? Posso passar a noite toda levantando suposições. Luana escondeu o rosto entre as mãos e chorou de soluçar. - Ahh… Meu bem! Venha cá,... Continuar Lendo →

Marília viveu – (desafio) – Anorkinda

-Ela viveu perseguindo sonhos. -Mas, por quê? -Era seu destino. "Marília soube o que era viver plenamente. Não foram aventuras cinematográficas nem holofotes de redes sociais, a vida plena de Marília se resumiu em viver. Ela sonhou em ser bailarina e foi. Desejou apresentar-se no Municipal e conseguiu chegar lá. Ela quis passar uns tempos... Continuar Lendo →

PINK – Juliana Calafange

Lembro sempre de você, estrelinha Pink! Seus olhos amendoados, o sorriso farto e sincero, rasgando a boca, mostrando os dentes sem vergonha nenhuma. Nos conhecemos no mais improvável dos momentos – um fim de festa – eu com frio e você com sono. Eu com raiva, cansaço, impaciência e você com amor. Demorei um pouco,... Continuar Lendo →

Dezesseis – Evelyn Postali (desafio)

Ela avistou Murilo, próximo às árvores da pracinha, em cima da moto, como costumava estar nas manhãs de domingo. O coração doente disparou e uma náusea mais forte a fez parar, agarrando o braço do pai. O vestido branco arrastou-se entre as pétalas de rosas brancas a cobrir parte do trecho da calçada e da... Continuar Lendo →

E da Cuia – Desafio – Paula Giannini

Esperou pela outra, o olho grudado na fechadura. Sabia bem o que havia. Eram amigas. Confidentes. Conhecia da fulana cada desejo, cada deslize, segredos ditos entre risos, e os não ditos confessados em madrugadas de conversas ao celular. Aos sussurros. Aos risos. Eram amigas. Eram. Não mais. Talvez sim. Quem sabe agora, mais que nunca.... Continuar Lendo →

Para Drummond – Sabrina Dalbelo (desafio)

O padre Ulisses amaldiçoou o açougueiro Lucas que esfaqueou o eletricista Mauro que eletrocutou o jardineiro Martin que afogou o padeiro León que assou o paraquedista Beto que asfixiou o professor Cristian que atirou no técnico de informática Diones que explodiu o bombeiro Matias que tacou fogo no empacotador Lourenço que desnucou o auxiliar de... Continuar Lendo →

Vadia – desafio – Paula Giannini

Vadia Vomitou assim, sem nem ao menos olhar seus olhos. A moral. Amoral. Vadia é coisa de cadela bandeando feliz ao sol de meio dia. Vadia é coisa de rabo, balançando livre a fim de se livrar das moscas. E dos parasitas. Tão pequenos... Os ovos de varejeiras a eclodir. As larvas prontas a devorar... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑