Viagem Arriscada (Grimm) Desafio As Contistas

Naquela época as crianças ainda brincavam na rua. Era costume juntar a molecada para jogar bola sem medo ou preocupação. Mas isso não significava que não havia perigo. Foi em um dia nublado e sem graça que Renata teve a ideia de chamar seu irmão Gabriel para ir de bicicleta à casa de seus avós. Eles moravam em uma pequena cidade interiorana e os avós das crianças viviam em uma fazenda à cerca de quatro quilômetros de distância, já eram acostumados a percorrer este caminho.

— Por favor, mamãe. Estou com saudade da vovó. — Choramingou Gabriel.

Continue lendo “Viagem Arriscada (Grimm) Desafio As Contistas”

SEM TONS – Claudia Angst

Nasceu totalmente desprovida de melanina, como se toda a cor da sua gente tivesse escorrido por um ralo imaginário. As raízes africanas só se revelavam nos traços fortes, nos lábios generosos, sedentos de um calcado a mais de ébano. Nada nela se escurecia, a não ser a rejeição que logo se apresentou como companheira fiel.

Coube à família, a missão de acolher a menina, criá-la em seu seio com os valores de seus ancestrais. Mas como aceitar aquele ser tão diminuto e ao mesmo tempo tão estranho a tudo que antes era familiar e natural? Todos ali se orgulhavam de ser o que eram, sem misturas que mesclassem outros tons ao padrão herdado.

Por falta de atenção ou talvez até uma ponta de ironia, batizaram a criança com o nome de Alina. No decorrer da infância, entre colegas de escola e até mesmo no convívio doméstico, a rima caiu como uma luva para que o bullying se esparramasse como praga. Era Alina, a albina.

Continue lendo “SEM TONS – Claudia Angst”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑