Dias de Chuva – Iolandinha Pinheiro

Dias de Chuva Caminho pela chuva, e vejo a praçaPor onde uma criança anda descalçaSeguindo pelo vento, achando graçaDos barcos de papel, em uma valsaDançando quase juntos sobre o rioValentes, enfrentando o aguaceiroVoando sob o duro meio fioAté se desmancharem por inteiroAli se encerrou, breve destinoDos dois pequenos barcos pelo mundoNascer e já morrer em... Continuar Lendo →

ALTER EGO primeira parte – Iolandinha Pinheiro

Cheguei caminhando à minha casa. Acabara de levar uma forte pancada na cabeça e estava zonzo, mas exatamente por causa da pancada, não conseguia lembrar de como aquilo havia acontecido. Aliás, lembrava muito pouco sobre qualquer coisa, mas tinha certeza de que morava ali, não apenas porque havia reconhecido aquela fachada, mas também porque quando... Continuar Lendo →

– Liana e o Peixe – Iolandinha Pinheiro

Capítulo 1 – Casamento Manhã sem chuva, igreja enfeitada, todos olhando para a porta enquanto o sacerdote sentenciava: - Se alguém sabe de algo que possa impedir este casamento, diga agora ou se cale para sempre! Liana olhou para trás e depois para o peixe vestido de fraque, sorrindo ao lado dela. O noivo pingava... Continuar Lendo →

Mechanismo – Iolandinha Pinheiro

  O INÍCIO Em 1940, um dia antes do embarque dos jovens selecionados para as batalhas da segunda guerra mundial, o melhor amigo de Benjamin Schuartzmann organizou uma noitada de despedida com muita bebida e dança. Durante a festa, o jovem aspirante foi esnobado pela loira Elizabeth Rivers, o que o fez beber além da... Continuar Lendo →

Cova de Lama (Iolanda Pinheiro)

Já moça, lembrava do tempo em que o mundo era cinza e a vida flutuava no terreno lodoso de segredos e mentiras. Quando a velha e eu nos enfurnávamos pelas manhãs atrás das covas onde os caranguejos sonhavam. Do braço de minha vó enfiado até o ombro no berço de terra mole, os dedos procurando... Continuar Lendo →

Juliana do Céu – Iolandinha Pinheiro

    Juliana tinha um segredo: ela podia voar. Descobriu ainda criança, depois de um dia na praia. Estava feliz, cheia de energia, e não conseguia dormir. Ficou andando pela casa sem saber mais o que fazer em sua primeira insônia.  Foi aí que viu a lata de biscoitos. A guloseima não estava na prateleira... Continuar Lendo →

História de Fantasma – Iolandinha Pinheiro.

  SANTA BÁRBARA*****Das coisas que me lembro, do tempo em que trabalhei em Santa Bárbara, nada me abalou mais do que a terrível história de Esther, e das implicações decorrentes por tomar conhecimento destes fatos. Na época eu era médica no hospital psiquiátrico da cidade, construído em um penhasco que se inclinava sobre o mar.... Continuar Lendo →

As Folhas de Alumúria – Iolandinha Pinheiro.

Anna Lúcia sabia que era adotada. Descobriu sozinha olhando os velhos álbuns com capa de ursinho na parte de cima do armário. Ao contrário dos irmãos mais velhos, não havia fotos da sua mãe grávida dela, ou foto sua ainda bebê. Não bastasse este fato, sempre se sentiu deslocada na família, na escola, no mundo.... Continuar Lendo →

– Presságio – Iolandinha Pinheiro

Moro numa pequena cidade sem parentes ou amigos. Escolhi viver desta forma. Ergui uma casa distante da vila, uma espécie de retiro voluntário na floresta tendo como vizinhos apenas os animais e as plantas. Nem por isso tive algum dia de tranquilidade na vida, e nem poderia, pois não o mereço. O nobre leitor acredita... Continuar Lendo →

Las Contreras – Iolandinha Pinheiro

A família da viúva Anahy Contreras chegou no início da estação das chuvas, um mês depois de recebermos a carta do antigo morador da “Las Piedras” pedindo ao meu pai para aguardar as mulheres e mostrar tudo da propriedade vendida. Como eu e Pedrito não sabíamos coisa alguma sobre as novas vizinhas, passamos todos os... Continuar Lendo →

Regras do Mercado- Iolandinha Pinheiro

Histórias que se cruzam. A família havia acabado de almoçar e as mulheres foram lavar a louça enquanto contavam piadas na cozinha. De súbito, ouviram gritos e alguém dando pontapés na madeira lá fora. Calaram-se de imediato, naquele lugar de tantas baixas e bombardeios, a morte nem sempre avisava, mas elas souberam, pelo tipo de... Continuar Lendo →

O Livro de Jonas – Iolandinha Pinheiro.

De: Raul Miranda Para: Levi Ricúpero Olá, amigo. Sei que você deve estar estranhando eu te mandar este e-mail, e já vou dizendo que nem precisa responder. Meu único objetivo é explicar o motivo que me levou a romper o noivado com a sua irmã. Diga que as joias são dela, foram dadas com todo... Continuar Lendo →

O Gato Merwel (Iolandinha Pinheiro)

____ A CASA NA FLORESTA ...Maria foi comprar sabão e na estrada avistou um cão em sua cesta pôs o cãozinho seguiu contente o seu caminho ela não sabe explicar, de fato mas o cãozinho virou um gato... ____ Padre Tobias olhou para o crepúsculo pela janela da sacristia. Estava guardando as pequenas galhetas da... Continuar Lendo →

Angústia – Iolandinha Pinheiro

Sentada no corredor do hospital Helena aguardava. A cadeira era do tipo que fica enganchada em um eixo metálico junto com outras igualmente desconfortáveis. De frente para ela uma sala de exame. Do lado de dentro uma pessoa inerte, alheia a tudo, mergulhava em seu misterioso mundo mágico. ________________________________ Foi por causa da escola que... Continuar Lendo →

Ausência – Iolandinha Pinheiro

Era a última noite de pescaria. O crepúsculo havia findado há um par de horas e a brisa marinha, de tão leve, somente ondulava a superfície negra do oceano. Três homens em uma pequena embarcação partilhavam o mesmo anseio. Calados, aguardavam o destino mirando as cordas que sustentavam a rede, ainda sem peso. Quando havia... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑