A linha tênue – Evelyn Postali

Arrastava a corda pelo chão. Descalça, sequer incomodava-se com a grama espinhenta, a brotar da terra por todos os lados, como lanças esperando pela queda de algum desavisado, estalando ao toque dos pés, crepitando como as labaredas da pequena fogueira a queimar parte da mobília e das roupas. As sombras da noite já mergulhavam sobre... Continuar Lendo →

Rasga-Ossos (Resenha) – livro de Sabrina Dalbelo, por Evelyn Postali

"há pontos de luzno céu dos seus olhosa iluminação reflete nos meusinsólitosquando te vejoinsisto em acender fogueirasà luz das estrelasno desertofurtivo olharcomo paciência de pérolavindo à tona do fundodo mundo" Publicado pela Penalux, em novembro de 2020.Composto em Sabon LT Std, impresso em papel pólen soft 80 g/m².Edição de França & Gorj.Editoração eletrônica de Karina... Continuar Lendo →

Time Loop – Evelyn Postali

Eu caminho apressado, frenético. Não percebo a largura de minhas passadas, e sim o formato dos seixos a correr debaixo de meus pés. Pedras irregulares a mostrar o desalinho da minha vida, ou daquela que eu tinha. Molhadas da chuva, elas têm um brilho diferente. Anos de fúria e rancor aliviados por Emma com as... Continuar Lendo →

O Pêndulo – Evelyn Postali

Para Lucas, cujo nome nunca ninguém lembrava, não tinha dia de folga. Dia e trabalho eram sinônimos. Todos os dias da semana, todos os meses do ano. Sem férias, nem folgas. Ele vivia todas as horas do dia. Cada minuto, cada segundo de cada dia. Tarefa, não faltava. Era seu pão, sua água. Ele aceitava.... Continuar Lendo →

FÉ – Ju Calafange

A Bahia. Terra de muita luz e axé. Onde todos os santos se encontram, se cumprimentam, se abraçam, se beijam. E entre carinhos envolvem e protegem os que por aqui passam, mesmo que não fiquem, como eu. Acabaram as férias, me despeço desse pedaço do paraíso na praia, nas areias famosas de Itapuã. Gostaria de... Continuar Lendo →

Iberê – Renata Rothstein

Mais um dia chegava ao fim, naquele distante Brasil. Tão distante, quanto belo e sofrido. Na terra das chuvas o pouco era sempre muito, pra bem, ou pra mal.Misto de cor, dor e beleza, que fugia a qualquer compreensão. Até mesmo os destinos, mais que noutro lugar qualquer, pareciam seguir um roteiro escrito por mãos sábias e um... Continuar Lendo →

pASSADO é pASSADO (Fheluany Nogueira)

    Procurei num dia remoto as paragens da infância. Lá estavam, porém sem vida. Pensei bobamente, como adulta: o tempo é a alma do espaço. Lembrei da moça do poster a olhar para mim o dia todo, intemporal, sem idade, indesgastável. Tão linda... e eu? Ela ocupava o centro do poster, seria o ponto... Continuar Lendo →

a maior metáfora fui eu (Sabrina Dalbelo)

Ao vivo e, ao evocar os meus demônios, eu ofertarei meus medos, meus filhos e meu saco de moedas. Não posso te prometer um final luxuoso, nem aplausos, mas te darei meu nome e tudo o que dele fizeram. Não tenho lembranças nem crenças. As verdades, as abandonei todas. Trilhei um caminho torto e indigno... Continuar Lendo →

Somos Esquisitos Juntos (Fheluany Nogueira)

Somos Esquisitos Juntos     Hoje é o último dia de aula. Isso significa que estou oficialmente de férias. É difícil acreditar que as festas estão chegando. Tudo acontece tão absurdamente depressa que não há jeito possível de se preparar para a velocidade. Estamos prontos? Não estamos prontos... Todo mundo está querendo afirmar que é... Continuar Lendo →

– Presságio – Iolandinha Pinheiro

Moro numa pequena cidade sem parentes ou amigos. Escolhi viver desta forma. Ergui uma casa distante da vila, uma espécie de retiro voluntário na floresta tendo como vizinhos apenas os animais e as plantas. Nem por isso tive algum dia de tranquilidade na vida, e nem poderia, pois não o mereço. O nobre leitor acredita... Continuar Lendo →

Magali Batista, Magá (Renata Rothstein)

A vida bolorenta nas vielas de barro e cheirando a chorume continuava, como sempre, a mesma merda, depois da morte de Julinho Esmola. Miséria chama miséria e a necessidade de pobre é aquela coisa - nunca tem fim. Quando depois de trinta meses de trabalho, bico, aperta aqui e esse mês paga-se a água, no... Continuar Lendo →

Promessa – Evelyn Postali

  ooh I need the darkness, the sweetness, the sadness, the weakness, ooh I need this. Need a lullabye, a kiss goodnight, angel, sweet love of my life ooh I need this¹ Irmãos caríssimos, reunimo-nos com alegria para participarmos nesta celebração... Sorrisos em faces serenas. Sorrisos e alegria. Lágrimas caindo dos olhos dos mais emotivos.... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑