Vestido Rubro – Amanda Gomez

Poderia ter sido um dia como outro qualquer, numa tarde de sol quente e brisa fresca na pequena cidade do Vale do Sol. Um lugar que parecia esquecido pelo tempo e agraciado em demasia pelo sol, envolta por montanhas rochosas e vegetação tímida, porém inspiradora. Nela habitava um povo resiliente e pouco impressionável. Os forasteiros que por ventura aqui chegavam, diziam que a melhor forma de encontrar o Vale era se perdendo.

Como em um dia de domingo, os moradores vestiram seus melhores trajes e encaminharam-se para a pequena, porém majestosa, capela.

Era o dia do meu casamento. Continue lendo “Vestido Rubro – Amanda Gomez”

Anúncios

Gostava de andar por ali – Ana Maria Monteiro

Gostava de andar por ali. Pouco lhe importava qual o café onde finalmente se sentava a ler o seu jornal, ou o cinema onde passaria duas horas, ou até mesmo o filme que iria ver.

O que ele gostava mesmo era de andar por ali.

Andar por ali e entregar-se ao seu passatempo favorito: não fazer absolutamente nada.

Era um bom homem – ser mau requer algum empenho.
Continue lendo “Gostava de andar por ali – Ana Maria Monteiro”

Teresinha dos anéis de Saturno – Evelyn Postali

 

Teresinha mora sozinha na casa marrom da esquina, onde o vento faz a curva e vai bater na casa amarela, do outro lado da rua de chão batido e de canteiros de amor-perfeito.

— Seu Lino, abra a porta! Tem selo voando aqui fora!

— O que foi, Teresinha?

— Tem selo pra tudo que é lado.

— Joguei fora. Cansei de guardar.

— O senhor pode colecionar coisa mais fácil. Eu coleciono anéis de vento, de pó de estrela do céu de Saturno.

— Você é maluca, isso sim! Continue lendo “Teresinha dos anéis de Saturno – Evelyn Postali”

“Sobre Meninos e Lobos” – Rose Hahn

O clarão da lua cheia revelou a face amarronzada da criatura, os caninos afiados, a pelagem farta. O eco do uivo nervoso viajou apressado, da calçada de concreto até o quarto verde-oliva.
Ela arregalou os olhos encardidos de sono − o som familiar retumbou na cabeça de porongo. Num rompante, o lobo deu um salto de duplo twist carpado, invadiu o pátio da casa, bateu o lombo na parede de tábuas, atravessou a janela, a cortina de bambu e se estatelou em frente à escrivaninha abarrotada de CD’s, livros, porta-retratos e da última edição americana da Revista Caras, no quarto de Bella Swan. Continue lendo ““Sobre Meninos e Lobos” – Rose Hahn”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑