Resenha “O Demônio do Meio Dia”

Aqui. Ou bem ali, disfarçada pelo sorriso esculpido para a foto. Lá, onde é preciso esforça-se ao levantar da cama. Por mais incrível que possa parecer, a depressão também acontece em cenas assim, aparentemente descabidas de preocupação. Nessa ótica de enxergar além do que se vê, sugiro um título: O Demônio do Meio Dia, de... Continuar Lendo →

Mosaico – Amana

Tenho sorrido após as lágrimas Tenho chorado depois do riso forçado Muitos pedaços de mim estão perdidos Ou talvez só adormecidos Cansados esgotados Seria bom contabilizar quantos cacos? Qual é a forma do mosaico que hoje eu carrego? (27 set 2020)   Esse poema é dedicado a todos os que não conseguiram juntar seus cacos... Continuar Lendo →

…a tempo – Fheluany Nogueira

Estou só, só, só, só, só. Só. Estou só. Nem um bicho para me acompanhar. Desejo que apareça uma daquelas aranhas que quase sempre aparecem por aqui. A gente vê de repente, leva susto, mas tem uma companhia. Fico adiando a morte dela só para ter uma presença. E mato, mesmo porque não tenho outro... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑