Carta a uma amiga distante (Bia Machado)

Querida amiga, como vai? Acho que posso chamá-la de Amiga, não posso? Estamos sempre tão distantes uma da outra, pela forma como vivemos a vida, pela forma como nos veem, por tantas diferenças que existem entre nós, mas ainda assim, saiba que tenho uma profunda admiração por você. Sempre acreditei que com você a vida... Continuar Lendo →

Carta a um leitor vestibulando – Bia Machado

08/03/2018 Caro leitor, Gostaria de ter escrito esta carta por outro motivo qualquer, mas sinto que não aguento mais. Preciso desabafar com alguém. Talvez tenha escolhido o momento menos correto, você tem tanto a estudar, porém... Bem sei da sua resistência com a leitura desse livro. Eu também ficaria, se tivesse que lê-lo apenas para... Continuar Lendo →

O Silêncio das Palavras – Amanda Gomez

Querido diário, Hoje é, decididamente, o dia mais feliz da minha vida. A luz chegou aos meus olhos, as carícias das palavras transbordam nos movimentos dos meus dedos, isso é tão mágico! Oh...desculpe-me, não me apresentei, papai sempre disse-me que antes de contar sobre você a alguém precisa ao menos saber o seu nome, criar... Continuar Lendo →

Rabanada de Panetone – Paula Giannini

Querida menina, Então, depois de tantos anos, hoje você veio. O mesmo perfume adocicado. O mesmo olhar meio de lado e aquela mania de sempre, de buscar o teto repetidas vezes, como se ali se encontrassem as respostas para o que quer que fosse. O que quer que, porventura, em sua vida, estivesse fora do... Continuar Lendo →

Vida em Palavras – Vanessa Honorato

“Março, 2010. Querido diário, Não sei se gosto dessa casa. Ela é bonita e tal, mas é grande demais, parece um monstro que engoliu mamãe e eu. Aliás, por falar nela, ela parece mais alegre. Hoje nem precisei levar o café pra sua cama, ela mesma se serviu na cozinha. Nós duas sentadas à mesa... Continuar Lendo →

O Livro de Jonas – Iolandinha Pinheiro.

De: Raul Miranda Para: Levi Ricúpero Olá, amigo. Sei que você deve estar estranhando eu te mandar este e-mail, e já vou dizendo que nem precisa responder. Meu único objetivo é explicar o motivo que me levou a romper o noivado com a sua irmã. Diga que as joias são dela, foram dadas com todo... Continuar Lendo →

AZUL – Juliana Calafange

Minha amada imortal, Sinto-me tão envergonhado. Disseram-me que hoje amanheceste triste, com o olhar diferente daquele olhar vívido que sempre tiveste. E que isso foi por culpa minha, por causa das minhas atitudes. Sei que me acusas, meu amor - e tens razão em fazê-lo! Meu erro foi tremendo. Eu menti, sobre ti, sobre nós... Continuar Lendo →

Querido inimigo, – Catarina Cunha

Sempre te conheci, nunca te amei, entre um tic-tac e outro da vida, jamais consegui te odiar. Desde minha mais tenra infância ouvia falar de você: “Tome cuidado, minha filha, depois da porta familiar vem a rua e lá não há ninguém em quem confiar; só na família encontramos a verdade”. Passei mais de meio... Continuar Lendo →

Presenças – Renata Rothstein

Vitória Fernandes <vitoriafernandes@yahoo.com.br> Para Doutor Pedro Caro Doutor Pedro, Conforme o combinado, aqui vai o resumo do meu inferno em vida, na instituição para pessoas de pino frouxo em que minha amada família tão prontamente me enfurnou. . Bom, confesso que poderia ser pior, como daquela vez que fiquei pelas ruas. Ali eu quase consegui... Continuar Lendo →

ESCREVO-ME SEM RIMAS – Claudia Roberta Angst

21 de dezembro Depois de alguns atropelos insones, a noite deita-se preguiçosa de futuros. Cansada do que ainda nem aconteceu, recolho em minhas pálpebras o peso do que virá. Este será provavelmente um verão inesquecível, pelo bem ou pelo mal. Mal ouso pensar no sol nestes últimos dias. Fugi da praia, do mar, das calçadas... Continuar Lendo →

Presente do passado – Elisa Ribeiro

De: Alice Hunt (alliehunt@gmail.com) Enviado: sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018   Querida filha, Como você não atende minhas ligações nem responde minhas mensagens, resolvi tentar por restabelecer nosso contato por e-mail. É até bom, escrevo em português bem melhor do que falo atualmente. Sei que a sua mágoa é grande. Entendo e respeito isso,... Continuar Lendo →

Vida às avessas – Ana Maria Monteiro

19 de janeiro de 2009 Mãe, Não sei o que se passa nem onde estou, mas é bom. Não sinto nada, apenas calma – como se flutuasse numa nuvem de algodão. E não há emoções, apenas este bem-estar. Foi-se a negritude, o desespero, o abismo. Escrevo apenas para te descansar. Sei que estás sempre preocupada... Continuar Lendo →

Do Umbral – Fheluany Nogueira

Do Umbral,   Pai e mãe, paz nos corações! É meu maior desejo! Peço-lhes, que não se deixem prender pela tormenta e que acreditem nestas palavras. Vocês merecem saber o que me aconteceu. Luto para conseguir superar tudo, até consigo atribuir a mim mesma a violência contra meu corpo. Meu comportamento foi descompassado e doentio.... Continuar Lendo →

Querido avô, – Priscila Pereira

O senhor se lembra da promessa que minha mãe lhe fez muitos anos atrás, de cuidar dos seus irmãos mais velhos, solteiros, quando não pudessem cuidar de si mesmos? Pois então, fico feliz em informar que ela vem cumprindo à risca essa promessa e agora que ela já não é mais uma moça, estou dando... Continuar Lendo →

A Ajuda – Sandra Godinho

De: Lea Bernardi (leabernardi@hotmail.com) Enviado: terça-feira, 2 de janeiro de 2018 Assunto: Lucca Para: Paulo Gomes (paulo.gomes@outlook.com)   Olá, Paulo! Se você está lendo esse e-mail é porque a curiosidade se tornou maior que o ódio, o que é  bom. Sinal de que a raiva decantou depois de dez anos de silêncio absoluto. Já era... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑