Chácara do Terror – Vanessa Honorato

— Então, jovem, agora que está mais calmo, pode nos explicar o que aconteceu?

Rennan está sentado numa cadeira preta, onde à sua frente encontra-se o delegado de polícia Leonardo Freitas, olhando diretamente em seus olhos, com as mãos cruzadas por cima da mesa, e ao seu lado esquerdo o policial Jonas, em frente ao computador tomando nota de tudo que é dito.

Continue lendo “Chácara do Terror – Vanessa Honorato”
Anúncios

Conquistas Aleivosas – Vanessa Honorato

A vida é feita de momentos. Hoje pode-se estar bem, amanhã, apenas pelo capricho do destino, tudo pode mudar.

Por pensar desta forma, todo ano Jörg aproveita suas férias ao máximo, da maneira que mais gosta: viajando. A cada ano, um país. Cada país, uma aventura diferente.

Aos dezoito anos, com o auxílio de sua mãe, Jörg foi obrigado a dirigir a empresa da família. Não decepcionou a memória do pai. Tornou-se um responsável empresário.

Aos trinta e três anos, depois de viajar para vários países, chegara a hora de aventurar-se pelo Brasil. Um homem sempre muito bem informado, tomou conhecimento de que o país, que já fora tão conhecido mundialmente pelo futebol, estava em crise. Vários escândalos, dentre eles um impeachment presidencial, acabou chamando a atenção do rapaz.

Continue lendo “Conquistas Aleivosas – Vanessa Honorato”

UM CONTO DE VINGANÇA- Vanessa Honorato

Clara abriu lentamente os olhos. Suas mãos tocaram o chão forrado por folhas secas e frias. Estava em um bosque estranho. A noite era sombria, iluminada precariamente pela Lua que brilhava no céu.
Ainda tonta, ela sentou-se, tentando relembrar o que tinha acontecido. Mas suas lembranças estavam atrapalhadas, como um filme borrado. Tudo que recordava era de um homem de olhos vermelhos com um machado nas mãos.

Continue lendo “UM CONTO DE VINGANÇA- Vanessa Honorato”

Agora ou Nunca – Vanessa Honorato

Eu estava lá, sentado na primeira fileira depois dos padrinhos, do lado do corredor, quando as portas da Igreja abriram-se e o noivo entrou. Ele usava smoking preto, camisa branca, gravata borboleta. Seus cabelos eram grisalhos e encontrava-se um pouco acima do peso. Ao seu lado estava sua mãe, já idosa, usando um vestido de seda longo, azul. Ele me notou e encarou-me por alguns segundos, pela sua expressão, pareceu não aprovar minha presença. Pararam no altar enquanto todos os padrinhos entravam e as portas foram novamente fechadas.

Continue lendo “Agora ou Nunca – Vanessa Honorato”

Recado para Papai – Vanessa Honorato

P4i, tô te escrevendo esta carta porque quero que o senhor saiba o que aconteceu naquele dia. Os mano e eu tava no busão, a gente tava feliz, gritando, cantando o hino do Timão, quando apareceu aquele frutinha. Pô pai, ele tava usando aquela camisa verde e era oficial, não era de camelô igual a minha! A gente era em cinco, começamos a zoar o cara.

V0u te contar uma coisa, velho, o frutinha era valente. Mandamos que tirasse aquela coisa verde e parasse de bancar o papagaio, mas ele num abaixou a cabeça, continuou mascando seu chiclete e rindo. Zeca foi se aborrecendo com aquilo, levantou e empurrou o cara. Ele caiu sentado num dos bancos e já bateu em pé de novo. O motorista parou. Continue lendo “Recado para Papai – Vanessa Honorato”

Vida em Palavras – Vanessa Honorato

“Março, 2010.

Querido diário,

Não sei se gosto dessa casa. Ela é bonita e tal, mas é grande demais, parece um monstro que engoliu mamãe e eu. Aliás, por falar nela, ela parece mais alegre. Hoje nem precisei levar o café pra sua cama, ela mesma se serviu na cozinha. Nós duas sentadas à mesa me lembrou os velhos e bons tempos de quando papai estava com a gente. Acho que mamãe também se lembrou, porque nem mesmo terminou o café e voltou em silêncio para o quarto.

Tenho que ir, está na hora do colégio. Estou ansiosa para conhecer a escola nova e a professora. Só vou passar no quarto da mamãe para deixar um beijinho. Ela nunca diz nada, mas sei que é importante”.

___________________________________

“Março, 2010.

Amada Laura,

Continue lendo “Vida em Palavras – Vanessa Honorato”

O Navio da Esperança – Vanessa Honorato

Olhando para este imenso horizonte, me pergunto de onde vem tanta água. O céu, muito azul, passa a impressão de que o mar é ainda maior, que vai crescendo, chegando ao alto, ao infinito…

O barulho da onda quebrando está longe, como se meus ouvidos estivessem tapados. Mas a verdade é que o álcool deixa tudo em câmera lenta, inclusive o som. A garrafa de whisky repousa ao lado dos meus pés descalços. Até ela está suja de areia. Continue lendo “O Navio da Esperança – Vanessa Honorato”

Estranha Sensação – Vanessa Honorato

À meia-noite Henrique acordou com o badalo do sino da antiga Igreja que ficava perto de sua casa. Virou para o canto e tentou dormir. Ouviu um barulho vindo do andar de baixo, levantou-se e foi à cozinha, onde encontrou a torneira da pia aberta e a água escorrendo abundante. “Devo ter esquecido de fechá-la”.

O sino tocou de novo e ele olhou no relógio. “Que estranho, não passaram-se nem dez minutos, este sino deve estar com defeito”. Voltou para seu quarto e fechou os olhos, tentando ignorar os trovões que anunciavam chuva. Continue lendo “Estranha Sensação – Vanessa Honorato”

Multiplicação do Amor – Vanessa Honorato

Às vezes eu me pergunto, se existe uma responsabilidade maior que outra. Sei que muitas pessoas, quando têm interesses, tratam tudo ao seu redor como sendo seu, mas, quando sabem que não terão vantagem alguma (ou terão desvantagens), simplesmente ignoram, mentindo para si mesmas que não tem nada a ver com a história.

Tudo na vida, mais cedo ou tarde, pode mudar. As responsabilidades pela vida de outros, podem acabar interferindo na sua própria.

Eu vivia em um apartamento pequeno, trabalhava duro para manter uma vida estável e sem dívidas. Até as moedinhas do meu bolso eram contadas para o fechamento do mês, de modo que não faltasse nada para nenhum membro da minha família. Continue lendo “Multiplicação do Amor – Vanessa Honorato”

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑