Chamada permanente de contos e poemas para o blog As Contistas

Quer ter seu conto ou poema divulgados aqui no blog As Contistas? Confira o regulamento e participe. Aguardamos seu texto! a participação é gratuitatodos os textos serão avaliados por membros do coletivo As Constistas.os textos selecionados serão postados aqui neste blog (https://ascontistas.wordpress.com/).podem ser enviados contos e poemas.não há limite de caracteres ou palavras.o tema é... Continuar Lendo →

O Que Nos Resta – Giselle Fiorini Bohn

Olho para meu filho, deitado no sofá, nesta tarde de nosso terceiro lockdown. As aulas foram suspensas mais uma vez, e um ano de seus nove foi passado assim: fazendo a lição de casa aos prantos pela manhã, e matando a tarde com o meu antigo celular nas mãos. Não, não era assim que deveriam... Continuar Lendo →

(Um)A Rosa – Paula Giannini

UmA Rosa Meio-dia. Sobre a mesa do restaurante, na praça, o gelo derrete no copo de suco. Ao lado deste - do copo -, o prato, a fome e a pressa, dispostos simetricamente, não mascaram o foco dos olhos, que mudam rapidamente para o outro canto, o da própria mesa. O da própria mão, a... Continuar Lendo →

O Olho de Abadiy – Evelyn Postali

“Contam os mais antigos que no coração da Montanha Azulada, no centro da Ilha de Dunya, existe um dragão. Seu nome é Abadiy.  Ele guarda a Eternidade. Controla o tempo e o que nele transcorre. Ele possui o poder de despertar o Fim. Por isso, dorme com um dos olhos abertos.  O olho, de azul... Continuar Lendo →

Imagens do Amor – Fheluany Nogueira

Deixei tudo acontecer, bem assim como devia ser... Olhando o céu como criança, mirando as estrelas como poeta, amava as árvores como pássaros, e sentia o vento como viajante... Impossivelmente... o Amor chegou: caminhos recém molhados, uma calma quente, flores vermelhas. Longe música de ontem misturou-se ao cristal de sua voz! Ah! Nenhuma distância entre... Continuar Lendo →

Decalque – Iolandinha Pinheiro

Sinônimos de decalque são imitação, arremedo, cópia, falsificação, contrafacção, reflexo, simulacro, calque, calco… Maria Alice tinha um sonho. Ela só queria ser vista, ouvida, percebida. Por algum motivo louco Maria Alice parecia não existir. Vivia com uma família bem grande mas parecia não fazer parte dela. Tinha várias irmãs, e apenas uma babá para as... Continuar Lendo →

O Caminho para Yris – Evelyn Postali

Yris é uma pérola cristalina cercada de nada por anos-luz na imensidão do Universo conhecido. Situada fora de qualquer galáxia, é um universo dentro do Universo girando sobre si mesma. Assim como não se sabe a origem do Universo, não se sabe a origem de Yris. Alguns dizem que ela é o início de tudo... Continuar Lendo →

PRAGA NA VIZINHANÇA (Claudia Roberta Angst)

Adentra esbaforida o hall do prédio, bolsa cruzada no corpo, e sacola escorregando das mãos.    – Ei, ei, segura o elevador pra mim! E ela vem, toda trabalhada na estampa selvagem, batom avolumando beiço já sem máscara, sorriso de quem está acostumada a receber raros nãos. Bufa ao ver a porta do elevador se... Continuar Lendo →

um lugar só seu

Abriu a porta e parou na soleira. Mãe do céu! Que furacão passou aqui... Fani ficou ali, inerte por segundos, a ouvir os ruídos que vinham da cozinha: o ranger da porta do armário, o tilintar das panelas, o chiar da água dentro delas, o cicio do fósforo riscado. Um pontapé fechou a porta, enquanto... Continuar Lendo →

Estou indo embora – Fernanda Caleffi Barbetta

O habitual beijo, aguardado nos lábios, foi desviado para a testa, e aquele gesto, após os demais que a vinham inquietando, pareceu-lhe o derradeiro. Desfez o bico seco e o observou alcançar a escada, os pés pesados ganhando os degraus, a calça desbotada, os sapatos precisando de graxa. Suspeitou que aquele fosse o dia em... Continuar Lendo →

O especialista – Elisa Ribeiro

Viam-se todas as terças e sextas. Ela, ainda de dentro do ônibus, atraída pela estranheza de sua figura, o observava caminhando, solitário, na areia. Ele a acompanhava com a respiração suspensa assim que ela dava as costas à praia e entrava no prédio de fachada vermelha: seu andar de princesa, as pernas longilíneas deslizando, o... Continuar Lendo →

Paz – Giselle Fiorini Bohn

Ela só queria ter paz. Primeiro, apostou na religião: ia à missa, rezava o terço, fazia novenas. Aí passou à fase mística: tentou Reiki, tomou o chá de Santo Daime, buscou o sagrado feminino. Então veio a etapa niilista e, com ela, abraçou o ateísmo. Até que cansou de não acreditar em nada e recomeçou... Continuar Lendo →

O Retorno (Vanessa Honorato)

Não venha me perguntar por que depois de todos esses anos, só agora resolvi falar; por que decidi desenterrar um assunto com o qual eu nunca, de fato, me envolvi? Bem, não adianta perguntar, porque, a resposta exata, eu não tenho. Talvez seja pelo fato de que pressinto que meus dias estão findando e não... Continuar Lendo →

Aquilo que se impusera – Elisa Ribeiro

Sentou-se no tapete em frente à janela. As pernas dobradas, as mãos sobre os joelhos, os olhos da gata da vizinha nos seus. Fechou-os. Pensou em si mesma como uma fruta em ponto de tombar ao chão de madura ou uma hortaliça em fim de ciclo na terra. Usava essa imagem para fazer-se imóvel, o... Continuar Lendo →

A Joia de Kaumã – Evelyn Postali

O cinturão preso ao corpo reluzia ao menor sinal de invasão ou perigo. Fora lhe dado por uma das grandes feiticeiras das Terras Escuras, além das Montanhas de Ébano, depois das florestas, cujas árvores frondosas e retorcidas criavam um barreira de espinheiros sombrios e venenosos.Guerreiro algum que atreveu-se a impor sua espada contra aquele território... Continuar Lendo →

(sem título) – Fheluany Nogueira

e as fadas se entendem com os grilos e vaga-lumes, falam às pedras; mas eu, perdida em contradições, vestida de malhas, calçada de galochas, escovando os cabelos, tomando posições, me enveneno de angústias... gostaria de estar entre as fadas e me permitir tirar os sapatos. deitada no chão sorriria para a magia, falaria com as... Continuar Lendo →

Aura – Giselle Fiorini Bohn

- Você me ama? - Sim. A pergunta já lhe fora feita tantas vezes que ele respondia sem nem mais pensar. Começou pouco após conhecê-la; no início achou doce, então divertido, depois estranho, e agora era insuportável. A insegurança e a carência, que tanto o encantaram a princípio, passaram a exasperá-lo. Ele havia dito sim-claro-que-eu-te-amo-que-bobagem-isso... Continuar Lendo →

Asas de Vidro – Evelyn Postali

Nota: Chorinea amazon é uma borboleta cujas asas são transparentes. A imagem que ilustra essa publicação foi construída a partir de filtros de forma e cor sobre a fotografia de uma borboleta Amazon angel. Elas são encantadoras por si só, por serem borboletas e não apenas pela transparência de suas asas. A borboleta eu fotografei... Continuar Lendo →

BUTTERFLY ORIGAMI (Claudia Angst)

Aliso meus papéis tentando escolher um. Somente um que me vista de forma adequada para o momento. Há de ser o mais encorpado, o mais resistente, o menos amassado. Flexível feixe de papiro, adornado com delicadas fibras. Minhas fibras, redobradas tentativas de fortaleza.  Sinto a textura do material que não quero mais reciclar. Terá seu... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑