Lições que o tempo passou a limpo (Claudia Angst)

Minha filha,

            Escrevo essa carta antes que eu me esqueça de tudo que achei mais importante para te dizer. Não estou aqui para dar lições de moral, longe de mim perder tempo com ditados e explicações que encontrarão seu destino em uma lixeira qualquer. Apenas, desejo, não como último desejo (esse eu guardo para uma ocasião mais derradeira), que você se liberte de toda provocação que a vida cismar de te acenar.

            Depois de tantos anos e de algumas décadas amassadas pelo caos e alisadas pela esperança, eu digo o essencial: o amor acontece, simplesmente assim. E se te acontecer de maneira inesperada a paixão ou algo mais do que isso, que te envolva de maneira que perca o sono e a fome ao mesmo tempo,  quero que saiba que eu também vivi isso e tenho sobrevivido. E não foram só amores, houve também vários desencontros. Mas quem está contando as cicatrizes?

            Acho que aprendi e talvez só tenha insistido em elaborar essa listinha de dicas para poder te alertar. Não são conselhos, pois não tenho sabedoria para dá-los a ninguém. Se tudo der certo, você não precisará ler essa lista, mas se ainda for, pode compartilhar. Eu tentei, mas quero que tente mais ainda, tá? 

  1. Quando uma pessoa conta tudo da sua vida não quer dizer que ela é confiável. Às vezes, ela apenas te confundiu com um psicólogo ou um padre.
  2. Ser sincera é bom. Sinceridade demais é falta de educação. Confira se você está sendo honesta ou apenas sem consideração com os sentimentos alheios.
  3. Quer experiências novas? Pule de paraquedas, atravesse o oceano a nado, escale o Himalaia, nade com os golfinhos. Não manipule vidas. Você não está capacitada para isso.
  4. Sua intuição pode ser ótima, mas cuidado. A imaginação costuma ser mais rápida e tem o péssimo hábito de amordaçar a intuição e prendê-la no sótão do inconsciente. Prefira confiar nos fatos. Eles são chatos, mas não mentem.
  5. Se você tem regras pessoais, respeite-as. Não abra exceções, mesmo se aquela pessoa pareça tão especial. Especial é você.
  6. Não há problema em errar. Erre e aprenda. A repetição do erro fará com que você fique mais esperta e não caía mais na mesma armadilha. Mas lembre-se: Nem tudo, nem todos têm recuperação.
  7. Quando um amigo de verdade te disser “deixa pra lá”, largue mão mesmo. Amigos nem sempre dizem o que você quer ouvir, mas o que você precisa ouvir.
  8. Doeu? Tente agir de outro modo. Doeu no outro? Mantenha distância. Ninguém precisa sofrer pelos seus erros.
  9. Vai mergulhar em uma paixão? Tenha certeza de que está preparada para isso. É preciso ter fôlego, coragem e força para retornar à tona. Não, não é pra qualquer um.
  10. Arrisque, ame, quebre a cara. Só não culpe ninguém pelos seus impulsos. Assim como ninguém é responsável pela sua felicidade.

E seja feliz tanto quanto puder aguentar.

Beijos,

               Mamãe

11 comentários em “Lições que o tempo passou a limpo (Claudia Angst)

Adicione o seu

  1. Que lindo, Cláudia!
    Parece mesmo a carta que uma mãe daria a uma filha. Gostei das dicas, cheias de sabedoria e verdade!
    Amei a última frase, ser feliz o quanto puder aguentar é o melhor conselho de todos!
    Muito bom! Parabéns 💐👏👏👏
    😘

    Curtido por 1 pessoa

  2. Olá, Cláu!

    A escrita é tão boa que reli mais de uma vez pelo prazer mesmo. Tudo muito gostoso e divertido, sobretudo a primeira dica. Parece algo que uma mãe amorosa diria a uma filha não no momento da infãncia, mas naquele momento crítico quando os filhos e os pais perdem um pouco a conexão devido a idade (de ambos), mas o elo principal ainda permanece, cheio de boas intenções e cuidados. Muito bom mesmo!

    Parabéns! BJ

    Curtido por 1 pessoa

  3. Que carta mais verossímil! E que conselhos mais sábios! Parabéns, Cláudia! Ideia excelente, leitura agradável. Com sua licença, posso repassar o texto para meus filhos e netos? Vão amar, sobretudo o fecho. Beijos.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Ótimos conselhos. Seria bom se pudéssemos fazer uma listinha de como viver e ir seguindo e tudo dando certo, infelizmente não é assim na realidade, e nem tudo que planejamos acontece conforme queríamos… Espero estar errada, mas me ficou a sensação de ter sido uma carta escrita por uma mãe doente e que não estaria presente na vida adulta da filha, por isso deixou a carta com os conselhos, sendo assim uma forma de continuar na vida dela… Bjs ❤

    Curtido por 1 pessoa

  5. As mães deveriam dar conselhos realmente interessantes como estes. Conselhos que servem de verdade para viver e conviver. Quando eu era criança era tão sem noção que vivia arrumando desafetos porque não tinha a medida do que falava. Até hoje acho que sou uma espécie de extraterrestre sem o menor traquejo social. A falta que faz uns bons conselhos, rs. Parabéns, Claudinha e que lindo fazer um texto para uma filha. Você tem uma filha e talvez estes conselhos vc deu ou daria para ela, né?

    Curtido por 1 pessoa

  6. Sabedoria e experiência passadas de mãe par filha. Sua carta me soou muito verdadeira, verossímil, o tipo de conselhos que uma mãe de fato passaria para a filha. Meu item predileto foi o que fala dos amigos: quando um amigo de verdade te disser “deixa pra lá”, largue mão mesmo. Amigos nem sempre dizem o que você quer ouvir, mas o que você precisa ouvir. Tenho a felicidade de ter tido muitos bons amigos, verdadeiros anjos na minha vida, e a sua carta aqui me acertou em cheio. Beijos, queridíssima.

    Curtido por 1 pessoa

  7. Olá, Cláudia!
    Eu achei um texto tão bom que eu extrapolaria para uma carta aberta a todas as pessoas. genial mesmo. Teve itens que li e reli, tal a argúcia. Preciso, oportuno, necessário. Parabéns! Muito bom!

    Curtido por 1 pessoa

  8. Adorei, Claudia!
    Os itens 4 e 5 foram, para mim, sensacionais: quantas vezes achei estar seguindo minha intuição quando estava apenas me iludindo? E “especial é você”? Perfeito!
    Que pena que ninguém ouve as mães… eu, ao menos, não ouvi a minha, e minha filha não me ouve também. 🙂
    Mas a gente continua tentando… que alguma coisa fique lá no fundo da mente…
    Parabéns!
    Beijo!

    Curtido por 1 pessoa

  9. Querida Claudia,

    Amei seu hibridismo. Conto-lista epistolar. Muito bom.

    “E seja feliz tanto quanto puder aguentar” – isso me fez chorar e é o tipo de desejo-conselho que sempre dou aos meus filhos…

    Parabéns, me emocionou de verdade.

    Beijos
    Paula Giannini

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: